quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Uma gracinha de música do Moska...


Tudo que acontece de ruim é para melhorar

É tão difícil a gente caminhar
Quando uma estrada não está mais
E ter que construir o próprio chão
Com as incertezas que tiver

Em cada curva pra lá e pra
Qualquer desvio pode transformar
A ponta de um universo em explosão
Coisas pr' um futuro que vier

E tudo que foi dor um dia 
Noutro dia será dia de continuar
Caminhando sob o sol
Até o amor se reinventar
Vida que a gente aprende
Tudo que acontece de ruim é para melhorar
É para melhorar...

(Paulinho Moska) 

01) Posicione-se sobre o título da canção, explicando seu raciocínio:

02) Há elementos que remetem à oralidade? Se sim, quais? Justifique sua resposta:

03) Transcreva um ou mais versos da música que tenha(m) lhe tocado de forma especial, explicando, se possível, tal escolha: 

04) Que sentimento a leitura do texto como um todo mais lhe transmitiu? Por quê?

05) Que mensagem o texto lhe transmitiu? Explique:

06) Diga a que classe gramatical pertence cada palavra em destaque na referida canção:

07) Como você ilustraria essa canção? Mãos à obra!

08) Elabore uma listinha com ações que cada pessoa pode fazer, diariamente, para ajudar a melhorar o mundo:

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Trabalhando com música.... linda....


Trem-bala

Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós
É saber se sentir infinito num universo tão vasto e bonito
É saber sonhar...
E então fazer valer a pena
cada verso daquele poema sobre acreditar...

Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu
É sobre escalar e saber que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo e também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo em todas as situações
A gente não pode ter tudo...
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso eu prefiro sorrisos e os presentes que a vida trouxe pra perto de mim

Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar
E sim sobre cada momento, sorriso a compartilhar
Também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera a vida ficou pra trás...

Segura teu filho no colo,
Sorria e abrace os teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro,
E a gente é só passageiro prestes a partir

(Ana Vilela)

01) Justifique o título da música, associando-a ao seu contexto: 

02) Que efeito a autora conseguiu ao usar as negações em alguns versos?

03) Transcreva da música um par de rimas que tenha despertado o seu interesse de forma especial, explicando o porquê:

04) Copie do texto um ou mais versos que remetem à ideia contida na expressão "carpe diem":

05) Que crítica encontra-se presente na música e a quem ela se refere? Explique:

06) Existe, no texto, alguma espécie de refrão? Se sim, qual? Se não, o que isso pode revelar?

07) Qual a importância dos verbos no modo imperativo presentes na última estrofe?

08) Circule no texto um exemplo de vocativo, explicando o que ele em si sugere:

09) O texto se assemelha a uma colcha de retalhos, sendo que cada retalho equivale a um conselho. Qual seria o conselho geral? Explique:

10) De que conselho isolado você mais gostou? Por quê?

11) Que mensagem a letra da música lhe transmitiu?

12) A que classe de palavras pertence cada vocábulo destacado no texto? 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Análise da música "Burguesinha"

Burguesinha 

Vai no cabeleireiro
No esteticista

Malha o dia inteiro

Pinta de artista

Saca dinheiro
Vai de motorista

Com seu carro esporte

Vai zoar na pista

Final de semana
Na casa de praia

Só gastando grana

Na maior gandaia

Vai pra balada
Dança bate estaca

Com a sua tribo

Até de madrugada

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha

Burguesinha

Só no filé
Burguesinha, burguesinha

Burguesinha, burguesinha

Burguesinha

Tem o que quer
Burguesinha, burguesinha

Burguesinha, burguesinha

Burguesinha

Do croissant
Burguesinha, burguesinha

Burguesinha, burguesinha

Burguesinha

Suquinho de maçã



(Seu Jorge)


01) Baseando-se no texto acima, utilize seis adjetivos que caracterizam a protagonista: 

02) Existe na letra de música algum exemplo de estrangeirismo? Qual? Por que você acha que ele aparece no texto? Qual a sua aparente função? 

03)  Explique a importância da presença de tantos diminutivos e repetições neste texto: 

04) Que mensagem a música em questão lhe transmitiu? Comente: 

05) Transforme a letra de música em uma HQ, tentando não perder nenhum detalhe: 

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Criando propaganda...


A tarefa de hoje é você criar uma propaganda que convença o leitor a adquirir o produto acima! Tente ser o mais criativo possível, acrescentando detalhes importantes, como preço, cor, utilidade, vantagens, essas coisas! Arrase! 

domingo, 1 de janeiro de 2017

Mais um ótimo texto para a gente refletir...

Quer um ano de luz? Ilumine-se! 


O que eu te desejo para o ano que começa: 

1- Eu te desejo coragem. 

Sem coragem, nem o olho a gente abre de manhã. A coragem de levantar e seguir a luta. Eu te desejo um ano novo feliz na coragem dos que ousam fazer diferente. Para lutar. Para aceitar desafios. Te desejo a coragem de ir além. De provar o novo. Arriscar, mesmo com medo. Rasgar a velha carcaça e se propor a ser melhor. 

2 - Eu te desejo medo.

Não um medo louco que paralisa e te afoga em pânico. Este estanca a vida. Nem um medo que evite novidades ou surpresas. Eu te desejo o medo que sai do fundo da alma. Aquele sentimento esquisito de mal estar que avisa que tem algo podre na história. O medo que protege. Que toca omo sinal de emergência. Que leva a gente a enxergar o que, antes, não se queria ver. 
Tenha medo. Siga sua intuição. Sempre. 

3 - Eu te desejo aceitação.

Não a mole resignação dos que não querem ter trabalho. Ou não se preocupam em correr atrás. Mas calma dos que sabem que tudo tem seu tempo. Um tempo safado que nunca é tão r[apido quanto a gente gostaria. E é preciso aceitar. Saber esperar, Agir, sim. E esperar, também. Para não colher o fruto verde e imprestável, cheio de cica. 

4 - Eu te desejo amo próprio.

Pare de se avacalhar. Jogue fora o chicotinho das críticas. Se olhe com mais bondade. Fique satisfeita consigo mesma. Se ame. Independente do peso, do cabelo, da altura, dos defeitos. Atenção: amor próprio exige prática. Pode ser difícil. Não desista logo. Lembre que foram anos de assédio moral que você fez com a sua pessoa. Seja um nom ninho para si mesmo. 

Se boicote menos. Respeite seus progressos. Não coloque tudo a perder. Aceite ser querida. Não afugente o parceiro interessado. Nem bote o outro para correr. 

5 - Eu te desejo menos preocupação com o que as pessoas vão dizer.

Vejo todos os dias, dentro e fora do consultório, pessoas que sofrem. Têm vergonha de dançar. Não cantam porque desafinam. Não usam biquíni porque se acham gordas. Não vão à praia porque estão fora de forma. Elas se encolhem no medo do olhar alheio. No entanto, o pior olhar é o delas para elas mesmas. O que os outros vão dizer? Sei lá. Que se danem. Não pagam as minhas contas. Nem as suas. Não têm que falar é nada. E quer saber? Vão falar de qualquer jeito. Sempre vão arrumar o que falar. Burro é quem não faz o que quer por medo dos outros. Faça o que quiser e seja feliz. 

6 - Eu desejo que você seja querida. 

Porque ser querida é muito bom. E desejo ainda mais: que você não precise ficar onde não é. Nem aceitar quem diz que ama, mas não ama nada. 
Que você consiga peneirar quem serve e quem não serve. Indo além do que é dito. Examinando o jeito com que te tratam. E perceba como cada um faz com que você se sinta. 
Ame sem medidas. Mas ame quem merece. Quem ama não maltrata. Não humilha. Não inferniza. Quem ama não dá desculpas para ficar longe. Porque quem ama cuida. E o amor dá saudade. Amar enriquece a vida e recheia a alma. 

7 - Eu te desejo recomeços. 

Não te desejo erros. Mas, você sabe, erros acontecem de qualquer jeito. Porque erros são inevitáveis. 
Eu te desejo recomeços. Seguir sempre é preciso. Caiu? Levante. Aprenda. Siga em frente.

8 - Eu te desejo gratidão.

Por tudo. Pela vida. Pelos amigos, pela família. Pelas conquistas e pelos desafios. Pelas dúvidas, pelos vacilos que viraram aprendizado. 
Peça menos. Agradeça mais. Experimente. Você vai gostar do efeito. 

9 - Eu te desejo capricho.

Não para ser o melhor. Ninguém é o melhor em tudo. Nem quero você estressado se comparando com os outros. Quero o seu melhor. O melhor que você pode fazer. Esse é o capricho de viver com qualidade. Na sua medida possível. Sem desculpas. No melhor que você pode dar para o mundo, para os seus afetos, suas pessoas queridas. E, sobretudo, para você. 

10 - Eu desejo um 2017 de luz. 

Não há um ano de luz que magicamente faz tudo dar certo e brilhar na sua vida. Essa mágica quem faz é você. Quer um ano de luz? Ilumine-se!

(Mônica Raouf El Bayeh) 

http://extra.globo.com/mulher/um-dedo-de-prosa/quer-um-ano-de-luz-ilumine-se-20715329.html#ixzz4UWr5vFim


Adotei esse texto da querida Mônica para desejar a todos os leitores deste blog um feliz ano novo, com tudo o que cada um tem direito, sem tirar nem por! E a essa pessoa fantástica eu só tenho a agradecer, por ser tantas vezes, mesmo sem querer, minha porta-voz, por resgatar a minha fé nas pessoas, ressuscitar a minha esperança, e desejo todo o sucesso do mundo! Obrigada!

- O que você achou do texto? Que mensagem ele lhe transmitiu? Comente:

- Que outros 10 (dez) desejos você acrescentaria à listinha da autora? Capriche! 

domingo, 25 de dezembro de 2016

Um ótimo texto para a gente refletir...

Se Jesus viesse hoje, sentava na sua mesa? 


Jesus nasceu pobre. Refugiado. Perseguido. Fugindo para não morrer. Em Belém. Mas podia ser em Alepo. Em lugares em guerra. Em favelas miseráveis. No sertão do Brasil sem água, nem recursos. Se Jesus nascesse hoje, talvez fosse refugiado. 

Seu presépio lindo. Coloridinho. Singelo. Disfarça o fato de que era uma hospedaria de animais. Um curral. Provavelmente fedorento. Não era um eco-berçário natureba. Era pobreza. Desconforto. Precariedade. 

Esse Jesus celebrado com presentes e fartura é outro. O Jesus que veio era pobre e pelos pobres. Era hétero, pelo que contam. Ia a festas. Transformava água em vinho. Mas jamais sentaria numa mesa junto com homofóbicos para sacanear e tripudiar os homossexuais que passassem nas ruas. Muito menos agredir, espancar. Mesmo que os homofóbicos frequentassem as missas de domingo. Mesmo que se confessassem. Ali, não estaria Jesus. 

Jesus não está no coração dos que cospem regras e leis sobre certo e errado. Mesmo que saibam os salmos de cor e andem com a Bíblia embaixo do braço. Por gente desse tipo, Jesus foi acusado e crucificado. Como tantos ainda são. 

Jesus veio numa família de uma mãe e dois pais. Jesus, veja que ironia, não nasceu em família tradicional cristã. Maria casou grávida. De um anjo, mas grávida. E se José, assustado, com medo de passar por corno, com medo do que as pessoas iriam falar, roesse a corda, Maria seria mãe solteira. Já tinha pensado nisso? 

Igrejas que cobram por milagres, ai não está Jesus. Terreiros que acolhem e abraçam os aflitos sem pedir um tostão em troca, ali nasce Jesus. 

Policiais que jogam bomba e balas de borracha em trabalhadores que lutam por seus direitos e salários, ali Jesus não está. Nem mesmo nos que trazem medalhinhas religiosas no peito. Povo passando humilhação, sem ter o que comer, aflito pela sobrevivência? É nessa mesa que Jesus está. Me arrisco a dizer que Jesus seria grevista. 

Jesus também não será encontrado em joalherias, em ilhas fisicais, mesmo para quem bate no peito e se diz cristão. Jesus está nos que morrem por falta de atendimento, de remédio, de segurança. Nas crianças sem direito à educação de qualidade. 

Jesus não está nos gabinetes de políticos. Jesus morreu entre dois ladrões. É verdade. Mas Jesus não faz conchavo. Se manteve íntegro. 

Jesus não está na Justiça injusta. Mesmo que na sala haja crucifixo na sala do tribunal. Jesus está nos injustiçados. Nos que clamam por justiça e a justiça cega não lhes enxerga. 

Que esse Jesus bebê que hoje se arrisca a nascer venha para nos lembrar que ele está nos perseguidos. Nos refugiados. Nos injustiçados. Nos que a gente, cheia de nojo, nem olha. Ali é que ele está. 

Jesus veio para ser visto no olhar dos que precisam. Naqueles que a gente se encolhe quando passam muito perto na rua. É fácil dizer que ama um Jesus limpinho, de cabelo claro e olho azul nas fotos. Mas se Jesus viesse hoje, favelado, refugiado, miserável, sentava na sua mesa? 

Que esse Natal seja de reflexão. De ação. Porque Jesus falava na cara. Não deixava passar. De mudança no templo de vendilhões. Sobretudo, de esperança. Porque Jesus nasceu sem nada para que a gente aprenda a pedir menos e a doar mais. A pedir menos e fazer mais. Pedir menos e ser mais. A pedir menos e ser feliz com o possível. A desesperar menos e se rechear com mais fé. Essa é a real necessidade. Sobreviver o dia a dia, apesar de tudo. Cair. Levantar. E recomeçar sempre. Esse é o verdadeiro Natal. O resto é só Papai Noel...

Feliz Natal para todos. 

(Mônica Raouf El Bayeh)
http://extra.globo.com/mulher/um-dedo-de-prosa/se-jesus-viesse-hoje-sentava-na-sua-mesa-20692295.html#ixzz4UX3WORAI

- Aproveite para responder, sinceramente, à pergunta feita pela autora já no título do texto...!!! Não se esqueça de fazer isso em forma de um pequeno texto!!! Mãos à obra!!! 

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Filme "Cegonhas - A história que não te contaram" (1 h 40 min)


Sinopse: Cegonhas entregam bebês... ou pelo menos costumavam. Agora elas entregam encomendas para a gigante global da internet Cornestore.com. Júnior, um dos principais entregadores da companhia, está prestes a ser promovido quando acidentalmente ativa a máquina que faz bebês, produzindo uma adorável e totalmente não autorizada bebê. Desesperado para entregar esse presentinho antes que o chefe descubra, Júnior e sua amiga Tulipa correm para fazer sua primeira entrega de bebês, em uma viagem selvagem e reveladora. Isso poderá fazer mais do que apenas iniciar uma família, mas também restaurar a verdadeira missão das cegonhas no mundo. 

01) Por que só existe uma humana na "Montanha das Cegonhas"? 

02) Por que nem sempre era fácil para as cegonhas entregarem os bebês? Quais eram os principais obstáculos? 

03) Por que um casal recebeu um celular em vez de um bebê? O que isso revela? 

04) Por que o Chefe Rocha queria que Júnior demitisse Tulipa? Ele conseguiu fazer isso? Por quê? 

05) Para que setor Tulipa foi transferida? Por quê? Com que objetivo? 

06) Por que a "órfã" Tulipa ficou falando sozinha no seu novo setor? 

07) Por que motivo o menino Nando pede um irmãozinho aos pais? Por que os pais parecem não gostar da ideia, inicialmente? 

08) O que Nando resolveu fazer? Funcionou? Explique:

09) Quem era Jasper? Você acha que ele, de fato, era um vilão? Justifique sua resposta:

10) O que a fala de Nando "pisca e eu já estou na faculdade" revela? Você acha que jsso acontece bastante em nossa sociedade ou é um caso isolado? Comente: 

11) Quais os planos de Tulipa se ela um dia fosse chefe? E os de Júnior?

12) Por que Tulipa, de fato, construiu o avião? E qual o motivo alegado ao Júnior? 

13) Por que num primeiro momento Tulipa abriu mão do seu sonho? Depois ela o realizou? Justifique sua resposta: 

14) Que nome Tulipa deu ao bebê? Que nome você daria?  Por quê?

15) Como Nando conseguiu a atenção dos seus pais? 

16) Por que Júnior evitava tanto segurar o bebê no colo? 

17) Quais os "poderes" da alcatéia? Que mensagem isso nos transmite no sentido de trabalhar coletivamente? 

18) De que parte do filme você mais gostou? Justifique sua resposta, aproveitando para desenhar tal parte:

19) Que mensagem o filme lhe transmitiu? Comente: 

20) Que nota, de 0 a 10, você daria a esse filme? Justifique sua resposta: